26/12/2017

[Resenha] Dezesseis - Rachel Vincent

| |


Titulo: Dezesseis

Autor(a): Rachel Vincent
Ano: 2017
Páginas: 240
Editora: Universo dos livros
Gênero: Distopia
Adicione: Skoob

Sinopse: Em um mundo em que todos são iguais, uma garota se destaca por sair do padrão. Uma história promissora e de ritmo acelerado, escrita por Rachel Vincent, autora best-seller do The New York Times.

“Nós temos cabelos castanhos. Olhos castanhos. Pele clara. Somos saudáveis, fortes e inteligentes. Mas só uma de nós já teve um segredo.”Dahlia 16 vê seu rosto em toda multidão. Ela não tem nada de especial – é apenas uma entre as outras cinco mil garotas que foram criadas visando o bem da cidade. Ao conhecer Trigger 17, porém, tudo muda. Ele a considera interessante. Linda. Única. Isso significa que ele deve ser defeituoso. Quando Dahlia não consegue parar de pensar nele – nem resistir a procurá-lo, ainda que isso signifique quebrar as regras – ela percebe que deve ser defeituosa também. Mas, se ela for defeituosa, todas as idênticas também são. E qualquer genoma com defeito descoberto deve ser recolhido. Destruído. Ser pega com Trigger não apenas selaria o destino de Dahlia, mas o das cinco mil garotas com o mesmo rosto. No entanto… e se Trigger estiver certo? E se Dahlia for mesmo diferente? Subitamente, a garota que sempre seguiu todas as regras começa a quebrá-las, uma a uma… 


Resenha



Já imaginou viver em um mundo onde existem mais 4,999 pessoas exatamente iguais a você? Com todos seus traços, com pensamentos iguais? Um mundo totalmente diferente do qual vivemos aonde as pessoas já nascem destinadas a uma profissão, aonde todos se vestem iguais também?
Pois é, este é o mundo em que Dahlia vive. Ela olha todos os dias para as garotas que são exatamente iguais a ela e se pergunta se elas questionam o mesmo que ela, se elas se sentem como ela.

Ela é uma garota que se destaca das demais na atividade que foi designada: A agricultura. Mas apesar de se sentir orgulhosa, não pode demonstrar isso, pois no mundo em que ela vive, demonstrar sentimentos é um "defeito".

"Minha habilidade, porém, não vem de tocar a água, mas de olhar as plantas com atenção. Eu não deveria me orgulhar do fato de os meus tomates serem os frutos mais brilhantes e firmes da classe, mas não consigo evitar. O melhor que posso fazer é tentar esconder minha satisfação na frente da nossa instrutora. E das câmeras."
Qualquer falha, de qualquer pessoa é considerado como falha genética e todas 5.000 são descartadas.
Um belo dia, Dahlia é chamada na administração e acreditando que já havia quebrado alguma regra, ela entra em um elevador já bastante apreensiva.
Mas no meio do caminho, o elevador para e Trigger 17 entra. Trigger é um cadete, auto e muito bonito, que logo chama atenção de Dahlia. No inicio os dois falam somente o necessário e o permitido, porém de repente o elevador para e as luzes se apagam. Dahlia entra em pânico e Trigger tenta acalma-lá.

"Sei que, para seu próprio bem, ele deveria parar de falar, porém eu queria que ele continuasse."
Ele conversa com ela de uma maneira totalmente errada, e ela sabia que ao conversar com ele, os dois estaria quebrando regras. E ela fica totalmente desnorteada pensando que Trigger era defeituoso.
Porém depois que as luzes voltam a acender e a câmera volta a funcionar, os dois saem do elevador e voltam para sua rotina normalmente. 

Mas para Dahlia, algo estranho aconteceu naquele dia, ela sentia uma vontade inexplicável de ver Trigger e isso a preocupava, se alguém descobrisse esse sentimento que nem ela entendia o que era, ela e todas as outras seriam descartadas.
"O que é esse sentimento? Por que me sinto atraída por ele como um imã por um metal, quando sei que apenas isso é suficiente para significar problemas para nós dois?"
Os dias se passam e ela percebe que a cada dia que passa fica mais difícil conter o que sente. Ela não pode compartilhar isso com ninguém, pois ninguém entenderia o que ela sente.
Até que um dia Dahlia encontra uma cenoura que foi colhida fora de Lakeview, e um bilhete de Trigger pedindo para encontra-lá. Ela sabe que está tudo errado,  mas algo a faz pensar nele a todo momento, e sua vida está prestes a mudar.

Minha opinião sobre a obra: Desde que a universo dos livros anunciou o lançamento deste livro, eu já fiquei bem curiosa para ler. Confesso que estava com expectativas altíssimas sobre o livro. E ele não me decepcionou, apesar de ter algumas falhas e ter percebido que a autora se "perdeu" em alguns momentos, que eu não acho justo citar aqui mas acredito que todos que leram já perceberam o erro. E para quem ainda vai ler, não se preocupe pois não é nada que estrague a leitura. 

A narrativa é bem rápida sem enrolações e bastante cativante. A protagonista é rápida e apesar de estar apaixonada por Trigger percebemos que ela não fica a "merce" dele e toma suas próprias decisões. O romance entre os dois também foi algo bem trabalhado pela autora, pois foi um romance que nos dá aquele "gostinho" de amor proibido que se desenrola bem devagar de um jeito que facilita para o leitor conhecer os dois. 

É uma leitura eletrizante, que super indico para aqueles que assim como eu amam distopia. Mas mesmo que você não tenha se aventurado ainda no gênero, tenho certeza que iram gostar também!

Adquira o livro

17 comentários:

  1. O livro é bastante interessante, não conseguiria imaginar muitas pessoas com os mesmo traços que eu, e ainda com os mesmo pensamentos. Se isso fosse real como que seria o mundo. Gostei bastante da história fiquei bastante curiosa pra saber o final da história, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucimar, tudo bem? Fico feliz que tenha gostado da resenha. Também não me imagino em um mundo assim.
      Bjs!

      Excluir
  2. Já faz um tempinho que vejo esse livro circulando por ai. Já até li outras resenhas a respeito. E achei a ideia bem interessante. Porém, acho complicado as distopias em geral. Geralmente ou elas são boas, ou decepcionam muito. Foi o caso de "O doador de memórias" para mim. Mas confesso que não resisto à distopias. Sempre gosto de dar uma conferida... kk
    Parabéns pelo post!!!
    ateoriadaslaranjas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitoria tudo bem? Acredita que esse livro também me lembrou muito o doador de memórias? Não li o livro, apenas assisti o filme mas achei a sociedade do livro bem parecidas.

      Bjs

      Excluir
  3. Tenho que começar comentando sobre essa capa... que maravilhosa! Não conhecia esse livro, mas achei bem interessante, é diferente de tudo o que tenho lido nos últimos tempos. Só não sei se leria, pois eu geralmente fico bem frustrada quando a autora se perde.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a temática, lembrou a distopia de "Admirável mundo novo" do Huxley no início, só que problematizada com essa questão de exterminar as "peças com erros", e isso me fez lembrar "Orphan Black" a série. Já assistiu? Enfim... Fiquei bem interessada nesse livro.

    bj
    Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani tudo bem? Eu amo Orphan Black e também lembrei bastante da série rs.
      Gratidão por sua visita ♡

      Excluir
  5. Fiquei um pouco curiosa com a temática do livro, não sei se o mesmo iria me agradar, mas adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Clara!
      Gratidão por sua visita ♡

      Excluir
  6. Lendo os comentários cheguei a conclusão de que as distopias estão mt parecidas ultimamente...rs... bem, mas voltando ao livro, eu tenho evitado livros com adolescentes apesar de ler tenho evitado pra não passar raiva, pq sempre passo. Apesar da trama ser interessante não me cativou ao ponto de pegar pra ler. O romance em si parece bem interessante. Se um dia tiver a oportunidade de ler, leria. Fico feliz que tenha gostado mesmo com a autora se perdendo um pouco.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raíssa! Verdade as vezes parece que as distopias estão iguais mesmo. Mas ficamos sempre na esperança de ser diferente.
      Gratidão por sua visita ♡

      Excluir
  7. Oi.
    É um livro que não me atrairia pela capa, não sei explicar bem porque. Mas gostei da proposta do enredo, acho que é um tipo de livro que eu gostaria de ler.
    Anotei a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. nossa, so de pensar me dá agonia. uma Valéria tudo bem, mas cinco mil já é demais kkkkkkkkkkkkkkk
    eu ja tinha ouvido falar do livro, mas apesar de curtir o gênero, confesso estar meio saturada dele nos ultimos tempos...
    bjs...

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Gosto bastante de distopias, apesar de ter lido pouco nos últimos tempos. Mas a história desse livro me chama atenção e eu gostaria de ler um dia.
    Que bom que recomenda. Gosto de narrativas rápidas.Boa dica!

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  10. Olá, a obra parece ser bem interessante, ainda mais pelo ritmo dinâmico que você comentou. Quero ler também.

    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Já li muitas resenhas ótimas sobre esse livro, adoro distopias, e já tem tempo que não leio nenhuma distopia. Esse parece ser bem eletrizante, adoro histórias assim, pena que a autora se perdeu um pouco, isso é péssimo em distopias, mas mesmo assim eu daria uma chance de ler!

    beijos!

    ResponderExcluir