}

16 de jun de 2018

[Resenha] Beco da ilusão - Mallerey Cálgara


Titulo: Beco da ilusão
Autor(a): Mallerey Cálgara 
Ano de publicação: 2016
Número de páginas: 280
Editora: Mundo Uno
Gênero: Drama/Literatura Brasileiro
Adquira o livro: Amazon ✰ Submarino ✰ Loja Mundo Uno
Sinopse: Meu nome é Sarah Wainness, mas este nem sempre foi o meu nome. É apenas mais um, entre tantos que já tive. Minha infância foi feliz e simples, como a de qualquer criança da minha idade e do meu bairro em Karnobat, Bulgária. Éramos uma família de cinco irmãos, incluindo eu. Papai, um homem muito bom, enérgico e religioso, frequentava a sinagoga, enquanto mamãe trabalhava em casa, cuidando de tudo e de todos nós. Após recebermos uma herança de um tio falecido que morava em Berlim, mudamos para lá e, ao chegar, deparei-me com uma realidade totalmente diferente da que eu conhecia. Meus sonhos desabrocharam em contato com a cidade. Um deles, tive que manter em segredo: eu queria ser bailarina. Sempre pegava as roupas da mamãe, escondida, e rodopiava no fundo do quintal, vendo tudo ao meu redor mudar. Isso me fazia feliz. Mas, um dia, meus sonhos desmoronaram e minha vida mudou completamente: os nazistas invadiram nossa casa, e fui levada para um lugar de prostituição.
Meu nome é Sarah Wainness, e já morei no Beco da Ilusão. (Mundo Uno editora) *Livro cedido em parceria com a editora

"Fiquei me perguntando o que aquelas pessoas indefesas teriam feito contra führer para merecerem tal vida. A resposta surgiu num estalo. Nada. Não fizeram nada. Tinham apenas nascido."

Olá amores tudo bem?
Beco das ilusões foi um livro que me surpreendeu muito, e também foi um livro que eu não larguei nem por um minuto.

Logo no começo do livro conhecemos Sarah Wainess. Uma senhora de idosa que está assistindo uma peça de balé, e as poucos com esta peça vai relembrando sobre uma época terrível que viveu. Antes de tudo que aconteceu, Sarah se chamava Yidish, mas já teve vários nomes.
 


Quando ainda era uma pré adolescente, Yidish morava com sua família em Kornobat na Bulgária, mas após seu pai receber de herança uma gráfica eles se mudam para Berlim, na Alemanha. Mas o que eles não imaginavam era que essa mudança que tanto trouxe esperança de uma vida melhor, na verdade não seria nada boa.

Ao chegar à cidade Yidish se apaixona pelo balé e passa seus dias sonhando em se tornar uma bailarina. Porém a menina vê seus sonhos desmoronarem após os nazistas invadir sua casa e separa-la dos pais e de seus irmãos. A partir dai Yidish, uma garota judia, que sonhava com a vida de bailarina vê seus sonhos desmoronarem.

"Confesso que não gostei de Hitler, porque ele não gostava dos judeus. Não sabia a razão de ele ter essa aversão à nossa família, pois nós nem o conhecíamos e não havíamos lhe feito nenhum mal"

Mas por sorte Yidish, de alguma forma não parecia uma garota judia e por isso, conseguiu ter um destino diferente do que muitos judeus tiveram. Mas isso não torna o livro menos intenso e triste.

O livro é narrado em primeira pessoa, e ao longo da história vamos crescendo e sofrendo junto com Yidish, e vamos sentindo também um sentimento enorme de impotência e o todo tempo fiquei me perguntando como as pessoas daquela época puderam apoiar toda essa barbaridade. Yidish é uma personagem muito bem construída, e a trama me prendeu desde o início.

Realmente me emocionei do início ao fim. E Beco das ilusões com certeza irá para a listinha de melhores livros que li na vida!

Beijos!

15 comentários:

  1. Oi Jaque!
    Não conhecia o livro, mas com certeza já foi para a minha lista de desejados.
    Já li um livro que retrata essa época, é algo forte e revoltante, mas infelizmente foi real, e ler livros bem escritos sobre isso, e com personagens bem construídos, nos faz vivenciar um pouco o fato.
    Amei a foto!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Nossa, não conhecia esse livro, mas já pela sinopse dá vontade de ler. Parece daquelas histórias fortes, que marcam a vida de um leitor. Dica super anotada!

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha, tomara que goste da leitura também.
      Beijos!

      Excluir
  3. Não conhecia esse livro, a história é bem interessante, mas confesso que não é uma leitura que me vejo fazendo tão cedo. Mas quem sabe futuramente, pois gostei das suas considerações.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu li um livro com o mesmo tema há pouco tempo então não tenho nem condições de ler algo sobre nazismo agora. Mas eu gostei de ela ter tido um destino diferente dos outros judeus e que sim, isso não deve ter deixado as coisas menos triste. O livro parece bem emocionante.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  5. Acho interessante ler livros com essa temática, mesmo que sejam histórias tristes. Mas é importante saber o que aconteceu para garantir que não acontecerá novamente.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Acho muito interessante livros com essa temática, e a premissa chama bastante atenção, mas infelizmente não é a leitura que procuro no momento. Indicarei pras amigas!

    Bjs
    Blog Tell Me a Book

    ResponderExcluir
  7. Já tinha ouvido falar deste livro, e mae mais uma vez este sentimento de impotência foi mencionado, o que me leva a imaginar o quao sofrida deve ser a narrativa.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  8. Oi Jaque, sua linda, tudo bem?
    Estou devendo a leitura desse livro. Sempre procuro ler histórias sobre a guerra, é um assunto que mexe demais comigo. E todos elogiam muito Beco da Ilusão, você me deixou mais ansiosa ainda pela leitura. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Sou fã da Mallerey, também já li esse livro e a protagonista é mesmo muito bem construída, seu drama e sua história de vidas são tocantes.

    ResponderExcluir
  10. Olá Jaque,
    Li esse livro há muito tempo e me encantei completamente com a história da Yidish e com tudo o que ela passou. A Mallerey domina demais a arte de escrever e ela brinca com o leitor e personagens mesmo em meio a uma trama tão triste. Esse é um dos melhores dramas da minha vida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Sempre me interesso por essas temáticas de Segunda Guerra Mundial e concordo com você, em como as pessoas na época concordaram com essa barbaridade?! É realmente chocante. Livros em primeira pessoa tem o dom de nos fazer ficar mais próximos dos acontecimentos. Não conhecia a obra, por isso dica anotada!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem?
    Nossa, eu amo livros que se passam na guerra, acho que é uma maneira de homenagear aqueles que sofreram na época. Essa história com certeza irá me fazer chorar, já coloqueu na lista de desejados!

    ResponderExcluir