30/11/2018

[Resenha] Única filha - Anna Snoekstra

| |

Titulo original: Only daughter
Autor(a): Anna Snoekstra
Ano de publicação: 2017
Número de páginas: 256
Gênero: Thriller
Editora: Harper Collins Brasil
Skoob: Adicione
Adquira o livro: Amazon  Submarino  Americanas
Sinopse: Rebecca Winter estava curtindo suas férias de verão. Trabalhava em uma lanchonete, tinha uma queda por um rapaz mais velho e saía com sua melhor amiga. Mas coisas estranhas surgiam ao seu redor: ela encontrou sangue em sua cama, passou a ter surtos de amnésia, sentia-se vigiada. Ainda assim, nada disso preparou Rebecca Winter para o que estava prestes a acontecer.
ONZE ANOS DEPOIS, A GAROTA DESAPARECIDA FOI S U B S T I T U Í D A.
Para fugir da prisão, uma jovem mulher declara ser a adolescente desaparecida anos atrás. A impostora assume a vida de Rebecca Winter. Dorme em sua cama. Abraça seu pai e sua mãe. Aprende os nomes de suas melhores amigas. Brinca com seus irmãos. Mas a família e os amigos de Rebecca não são quem dizem ser. Enquanto se esquiva do detetive que investiga o desaparecimento de Rebecca, ela começa a se dar conta de que o criminoso ainda está à solta – e ela, correndo risco de vida




Única filha é primeiro livro da autora australiana Anna Snoekstra, publicado pela HaperCollins Brasil, e como todo suspense policial promete nos prender e nos deixar curiosos do início ao fim.

A história começa com uma jovem que está fugindo de algo, roubando um mercado e acaba sendo descoberta. Os policiais querem saber sua identidade e com isso a garota se lembra que há onze anos atrás assistiu um noticiário que falava sobre o desaparecimento de uma garota chamada Rebecca Winter, e esta garota ainda estava desaparecida e por se parecer muito com a garota desaparecida, ela resolve se passar por ela.

O plano era apenas tentar escapar dos policiais e assim que possível voltar a fugir de tudo, só que a mentira toma proporções gigantescas e ela começa a pensar que talvez, ficar no lugar da garota desaparecida (e provavelmente morta) não seria tão ruim assim. A ideia de ter uma família e um lar cheio de “amor” novamente encanta a garota e ela passa a assumir, definitivamente o lugar de Rebecca Winter.

“Não, era o que ele havia falado sobre vítimas. Bec era uma vítima real e, por minha causa, a verdade jamais será descoberta. Jamais haveria justiça para o que aconteceu com ela.”



Mas com o tempo a culpa começa a aparecer, pois ficar ali obviamente significaria que a verdadeira Rebecca não teria justiça pelo seu desparecimento, e para piorar a situação o investigador do caso quer saber aonde ela esteve este tempo todo, o que fez e o porquê de ter desaparecido. Porém, estas dificuldades com o investigador parecem simples, quando ela começa a perceber que todos ao seu redor não parece ser quem dizem ser.

A narrativa possui capítulos intercalados entre a garota que tomou o lugar de Rebecca e a própria Rebecca do passado, assim podemos conhecer um pouco da personalidade das duas e tentar descobrir o que realmente aconteceu. A narrativa da autora possibilita que o leitor crie várias teorias e a trama se desenrola quando traz aos poucos, coisas suspeitas que aconteceram antes do desaparecimento de Rebecca.

Os personagens secundários trazem aquele ar suspeito para a trama, já que a maioria deles tem atitudes estranhas, e a autora soube utilizar inúmeras maneiras sutis para nos fazer desconfiar de cada deles. O único ponto negativo da história é algumas pontas soltas simples, que a autora deixou como, por exemplo o verdadeiro nome da impostora. Mas isso não interfere na leitura, já que ao resolver ficar no lugar de Bec, a impostora passa a tentar se moldar ao máximo possível ao que a verdadeira Rebecca era, e não ser descoberta. O fez com que eu me envolvesse mais ainda, chegando até a torcer pela impostora, que no início era uma personagem arrogante e inconsequente, e depois foi se tornando claramente alguém melhor.

Única filha é um daqueles thrillers viciantes, que trazem um desfecho alucinantes. Rápido de ler, este é um thriller para devorar, já que o suspense te acompanha desde o início e te prende nesta história mesmo depois do fim!
Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário