21/12/2018

[Resenha] O diário de Anne Frank - Anne Frank

| |
Titulo: O Diário de Anne Frank
Autora: Anne Frank
Número de páginas: 244
Gênero: Biografia
Editora: Geek
SkoobAdicione
Adquira o livroAmazon  Submarino
Sinopse: No auge da Segunda Guerra Mundial uma garota ganha em seu aniversário de 13 anos um caderno de autógrafos. Tinha um fecho, capa dura de tecido xadrez vermelho e branco. O nome da garota era Anne Frank e ela gostava muito de escrever. Por isso, transforma o caderno em um diário. Menos de um mês depois, Anne, a irmã Margot e os pais vão para um esconderijo secreto, onde passam mais de dois anos, com outras quatro pessoas, para não serem enviados para um campo de concentração.
Os nazistas acharam o esconderijo e o grupo não escapou do holocausto. Anne, que era judia, morreu pouco antes de fazer 16 anos. Porém, o diário onde foram narrados os momentos sobre a vida de Anne Frank e as acontecimentos vivenciados no anexo secreto sobreviveu ao tempo. Foi publicado pela primeira vez em 1947 e se tornou um dos livros mais lidos do mundo, traduzido para mais de 60 idiomas.


"Por tudo isso é que escrevo um diário. É para eu fazer de conta que tenho uma grande amiga. A este diário, que vai ser minha grande amiga, vou dar o nome de Kitty."

O diário de Anne Frank se tornou uma das obras mais discutidas sobre o holocausto e a segunda guerra, após sua primeira publicação em 1947, dois anos após a morte de Anne Frank. Ela era apenas uma adolescente, que ao completar treze anos ganhou um diário de presente de aniversário, e logo após teve que se esconder dos nazistas com sua família em cômodos secretos, em um edifício comercial, dividido com outra família, também judaica.

Em seu diário Anne Frank relata todas as dificuldades e preocupações de sua família durante os dois anos que ficaram escondidos, e como qualquer adolescente, também relata coisas pessoais e sentimentos, afinal, ela estava crescendo totalmente isolada do mundo, e por não ter um relacionamento tão bom com sua família e a família que morava junto com eles, só restava a ela escrever seus sentimentos mais verdadeiros em seu diário.

Anne Frank sonhava em se tornar alguém importante, ser uma grande jornalista e com o seu diário, podemos acompanhar o quão grande foi o amadurecimento de Anne ao longo destes dois anos. Não é difícil de perceber o porquê seu diário se tornou uma obra tão importante, que hoje em dia é uma das obras mais traduzidas do mundo; Anne tinha uma visão pura, questionadora e sensata sobre a segunda guerra e o holocausto.

“Se penso na nossa vida aqui, chego sempre à mesma conclusão: nós, em comparação com os judeus que não conseguiram se esconder, ainda estamos no paraíso.”



Este livro com certeza entrou para a listinha de melhores livros que eu li este ano. Eu já tinha assistido ao filme há algum tempo, mas é obvio que no livro conhecemos Anne muito mais a fundo, e seu amadurecimento e carisma são mais nítidos. Foi uma leitura triste, pois eu acredito que todo mundo saiba que infelizmente, a história de Anne é real, e não teve um final feliz. E no decorrer da leitura, enquanto eu me aproximava do fim do livro, meu coração foi ficando cada vez mais apertado.

O livro possui uma narrativa fluida e por se tratar de um diário, foi uma leitura bem rápida pra mim. Já faz dias que terminei esta leitura e ainda estou pensando neste livro e acho que ainda pensarei sobre ele por muito tempo. Eu enchi ele de marcações, pois me identifiquei com Anne em muitos momentos, e em outros me senti impactada e emocionada com o que ela escreveu.

O diário de Anne Frank nada mais é que a visão de uma garota que foi obrigada a se esconder dos nazistas para sobreviver. Apesar de tudo, fico feliz que de uma forma ou de outra Anne se tornou mesmo alguém importante e memorável, ainda que de forma tão triste e tão cruel. Sempre que eu puder irei recomendar esta obra, tão singular e tão marcante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário