02/03/2018

[Resenha] Minha vida fora dos trilhos - Clare Vanderpool

| | 15 comentários

Titulo: Minha vida fora dos trilhos 
autora: Clare Vanderpool
Ano de publicação: 2017
Número de páginas: 320
Gênero: Fantasia
Editora: Darkside Books
Adquira o livro: Livraria cultura ✰ Saraiva ✰ Amazon
Sinopse: A protagonista de MINHA VIDA FORA DOS TRILHOS, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.
O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar.
Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção.

Olá amores tudo bem com vocês? Hoje eu vim aqui resenhar mais um livro de fantasia! O livro conta a estória de Abilene Tucker, uma menina de apenas doze anos que vivia viajando com o seu pai. Mas um dia seu pai decidi mandá-la para uma pequena cidade chamada "Manifest" no Kansas, para passar o verão.


Ao chegar na cidade, Abilene encontra uma caixa de charutos, cheia de cartas, objetos e lembranças que ela não sabe a quem pertence, mas acredita ser do seu pai. Procurando respostas sobre a caixa, a menina acaba conhecendo a vidente da cidade, que no início ela acredita ser apenas mais uma farsa, mas ela acaba quebrando um vaso da vidente, Srta Sadie, e para pagar pelo dano a vidente propõe a menina que trabalhe para ela por um tempo.

Quando começa a trabalhar para aquela senhora, ela começa a contar histórias para a menina, que começa a entender que a vidente na verdade, está contando a verdadeira história por detrás de caixa de charutos, sem que precisasse pedir. Mesmo que não acreditasse nos dons da vidente, a menina passou a acreditar que na verdade, ela tinha o dom de ver o passado. E aos poucos vai descobrindo sua ligação com toda a história por detrás da caixa de charutos.

"Se existe mesmo algum universal, e eu não estava preparada para jogar todos os meus pela janela, é que existe poder numa história. E se alguém é suficientemente bondoso para inventar uma história para deixar você comer um biscoito de gengibre, você acredita nessa história e saboreia até a última migalha"


A história é ambientada em duas épocas, a primeira narrada pela Abilene em 1936, durante a grande depressão, e a segunda é narrada também pela menina, e a Srta. Sadie, relatando alguns acontecimentos que ocorreram com os amigos Ned e Jinx, entre 1917 e 1918 na primeira guerra mundial. A medida em que a história foi se desenrolando percebi o quanto tinha me apegado a protagonista e todo seu anseio por saber de toda a história.

" Eu tinha necessidade de ouvir a sua história, e ela tinha a mesma necessidade de conta-la. Era como se a história fosse o único bálsamo a proporcionar conforto."

Abilene Tucker, é uma protagonista muito inteligente e cativante que foi muito bem trabalhada pela autora, assim como alguns personagens secundários que a autora também soube desenvolver com êxito. Eu adoro livros cheios de fatos históricos, e "Minha vida fora dos trilhos" está cheio deles, e para mim, todo este trabalho de pesquisa que a autora teve para coloca-los na história a tornou mais real, e ainda mais emocionante.

"Minha vida fora dos trilhos" é o segundo livro da autora Clare Vanderpool, publicado aqui no Brasil, pela Darkside Books. Porém é meu primeiro contato com a autora e eu realmente fiquei apaixonada pela escrita da autora. A edição publicada pela editora também está linda, a diagramação, e o espaçamento entre as palavras são razoáveis e os capítulos são curtos. Porém eu li bem devagar saboreando cada página deste emocionante livro, que eu recomendo muito! 

Beijos!