21/11/2018

[Resenha] Contos de fadas em suas versões originais - Vários autores

| | 11 comentários
Titulo: Contos de fadas em suas versões originais (Livro 1)
Autor(es):Hans Christian Andersen, Jacob e Wilhelm Grimm e Charles Perrault.
Ano de publicação: 2016
Número de páginas: 160
Gênero: Contos
Editora: Wish
Adquira o livro: Amazon ☆ Loja editora Wish        Sinopse: OS CONTOS DE FADAS QUE VOCÊ JÁ CONHECE TRADUZIDOS DE MANEIRA REAL, INÉDITA E SEM CENSURA
Todos nós tivemos contato com os contos de fadas pelos desenhos animados, livros ou contações de histórias. O curioso é que todas essas narrativas foram adaptadas sem muito compromisso com os contos originais, perdendo parte da crueldade e sutileza naturais da época.
Nesta coleção, os melhores contos de fadas foram escolhidos de forma criteriosa, cujas histórias centenárias se enveredam por horizontes escuros e sombrios, onde não há censura ou limites. Seus finais nem sempre envolvem casamentos ou futuros felizes, nos quais a moral prevalece sobre os pecados.
Nada mais será escondido ou censurado. A chave para conhecer os contos de fadas mais obscuros está em suas mãos. Você tem coragem de abrir esta porta?
Uma edição de leitura prazerosa, com 10 contos completos (incluindo alguns inéditos no Brasil) e 68 ilustrações para serem apreciadas no silêncio da noite.



Adoro contos de fadas, e principalmente versões originais destes contos que crescemos ouvindo. Sendo assim, não espere um livro cheio de contos do jeito que a Disney conta; Neste livro conhecemos o lado sombrio de alguns contos de fadas. Neste livro conhecemos a versões originais, sem censura dos contos: Barba Azul, A pequena sereia, Branca de Neve, Pele de Asno, Rapunzel, Chapeuzinho vermelho, A amendoeira, A pequena vendedora de fósforos, Cinderela e Sapatinhos vermelhos.




Alguns destes contos são bem famosos, outros nem tanto, mas não deixam de ser contos importantes. Aqui conhecemos o lado mais terrível, medonho e sangrento destes contos; partes que foram deixadas de fora em suas versões “fofinhas”. Como são ao todo dez contos, contarei um pouco sobre aqueles que mais me impressionaram:
 
A pequena sereia: O conto vai contar a história de uma jovem sereia, a mais nova de cinco irmãs, que não vê a hora de completar quinze anos para poder subir na superfície do mar e conhecer um pouco mais do mundo. Porém, quando este momento tão sonhado chega, ela acaba se apaixonando por um príncipe, um humano. E para poder vê-lo novamente ela decide falar com uma feiticeira do mar, que lhe pede sua voz para poder realizar o feitiço, e lhe avisa que sua calda será substituída por pernas, porém, sempre que andar ela sentirá dor. E que se ele não se apaixonasse por ela, a pequena Sereia viraria espuma do mar.

“Nunca antes ela dançara com tanta elegância. Era como se facas afiadas estivessem cortando seus delicados pés, mas ela não sentia nada, pois a ferida em seu coração era muito mais dolorosa.”

A Amendoeira: Para mim este foi o conto mais macabro de todos neste livro. Neste conto conhecemos uma mulher que deseja muito ter um filho, e faz este pedido a uma amendoeira no quintal de sua casa, e come os frutos. Seu pedido é realizado e assim que o bebê nasce ela morre. Seu marido se casa novamente, e esta mulher, por não gostar do seu enteado o decapita e cozinha o menino (eu disse que era macabro, haha). Mas, esta mulher não ficará impune, pois a amendoeira tem um papel importante na vingança deste ato tão cruel.


É claro que outros contos também me impressionaram bastante, e as ilustrações que contém nos livros, se misturam aos contos de uma forma incrível e bem elaborada. Ao todo são dez contos, todos narrados em terceira pessoa, e todos eles possuem uma narrativa fluida, eu devorei este livro de uma vez só, e quando terminei já queria ter o segundo volume em mãos, afinal, são três volumes, todos eles com a mesma proposta, porém com contos diferentes.

Se você assim como eu adora contos de fadas, seja em sua versão original, ou nas versões clássicas (mas que tem vontade de conhecer estas versões sinistras) eu recomendo muito esta coletânea de contos!
Beijos!