05/12/2018

[Resenha] Linha 4 amarela - Felipe S. Mendes

| | 13 comentários

Titulo: Linha 4 amarela
Autor: Felipe S. Mendes
Ano de publicação: 2018
Número de páginas:
Gênero: Suspense/Thriller
Editora: Lura
SkoobAdicione
Adquira o livro: Livraria da Lura
Sinopse: Um ataque terrorista no horário de rush no Metrô mais lotado da América deixa mais de 7 mil pessoas presas e soterradas a mais de 55 metros de profundidade!
Agora imagine se a sua vida e de seus amigos dependessem da honestidade e rapidez do sistema político brasileiro!!!
Linha 4 Amarela é um livro extremamente diferente de qualquer outro que você já leu ou ouviu falar.
O grupo denominado SETE explode 7 bombas implantadas em drones em todas as saídas das Estações Paulista e Consolação do Metrô, o local onde no horário de pico passam mais de 240 mil pessoas por dia.
Após a explosão um vídeo na internet revela que eles têm exigências que devem ser cumpridas nas próximas 7 horas.
Se a cada hora uma exigência não for cumprida eles vão explodir as outras 7 bombas que estrategicamente estão infiltradas entre as vítimas do ataque.
O grupo SETE fere diretamente os 3 poderes, o que causa uma ambiguidade no público, pois o que os terroristas pedem são coisas que toda a população deseja, porém, seus métodos são extremamente peculiares.
Dentro da trama temos de um lado a população e pessoas “comuns”, de outro toda a intriga entre os políticos, principalmente entre Prefeito, Governador e Presidente e ainda a Agência Brasileira de Inteligência que tem um papel duplo, de defesa da segurança nacional sem expor os conluios por trás disso.
Em jogo além do funcionamento da maior metrópole da américa latina estão ainda o jogo político e a vida de milhares de pessoas. Exatamente nessa ordem.

*Livro recebido em parceria com a editora*


Linha 4 amarela é o primeiro livro de uma trilogia, escrita pelo autor músico e produtor Felipe S. Mendes, e é um livro que eu estava com expetativas altíssimas para ler.

O livro vai contar a história de um grupo denominado SETE que, explode sete bombas nas saídas das estações Paulista e Consolação do metrô em pleno horário de pico. Eles fazem isso com drones e pessoas infiltradas dentro do metrô e enquanto isso eles pressionam o governo com algumas exigências. Mas, se pensa que após a primeira explosão eles deixariam os sobreviventes saírem das estações, está muito engando! Este grupo é liderado por Mãe, uma pessoa que é um dos maiores mistérios desta história, e que não sabemos quem é.

As pessoas ficam presas nestas estações, e se as exigências não forem cumpridas, sete bombas irão explodir a cada hora. E é aí que o caos se instala, imagine se sua vida dependesse da eficiência do governo, imagine se sua vida dependesse que eles abrissem mão de alguns benefícios?
 



O livro é narrado em terceira pessoa sob o ponto de vista de diversos personagens, todos eles ligados de alguma forma a este caos. Um deles é Rod, uma radialista que trabalha na MISS FM, uma rádio de rock e notícias e que começa a ser ameaçado por este grupo e obrigado a dar notícias que lhe passam, em segredo, sem nem mesmo contar para seu colega de trabalho Samuka. Assim, conhecemos Liv, uma agente da ABIN (agência Brasileira de inteligência) que ao ficar sabendo das notícias que Rod está divulgando na rádio vai até lá para descobrir como ele está conseguindo estas informações. Outros personagens também são muito importantes para a história, como Max o filho do governador, que está no metrô no momento do ataque.

Apesar dos diversos pontos de vista, isto não atrapalha o entendimento da história. A escrita do autor é fluida e instigante, sempre nos deixando curiosos para saber qual será o próximo passo deste temível grupo. Para quem mora aqui em São Paulo e sempre está andando por estas estações, assim como eu, provavelmente sentirá a adrenalina na história. E para quem não mora, o autor caprichou na descrição da ambientação, fazendo com que o leitor fique totalmente imerso na história

O único ponto que me incomodou neste grande número de personagens foi que não me senti cativada com nenhum deles, não me conectei com eles e acredito que este primeiro livro da trilogia seja uma introdução. A maioria dos personagens me causaram um sentimento que também acredito que possa estar ligado ao desenvolvimento da trama, e a tudo que está acontecendo ali. O que vem por aí e os ganchos que o autor deixa no livro, nos deixam curiosos para ler o próximo. Passei o livro inteiro pensando sobre a principal pergunta que a história traz: Terrorismo ou justiça?

Mesmo tendo seus pontos negativos para mim, foi uma leitura que valeu a pena, e que eu indico. Li em algumas horas, a edição é bonita, com uma diagramação que traz letras de bom tamanho e confortáveis para leitura. Os capítulos são curtos, tornando esta história ainda mais fácil de devorar em poucas horas!
Beijos!